chegou a hora.

Decidiu mudar, fez o que tinha que fazer, um ano acabou, outro começou, tudo mudou e parece que para melhor. E no meio disso tudo, surge a tão esperada entrevista de emprego.

Muita euforia e ansiedade, mas tenha calma – você precisa analisar bem o cenário que se apresenta.

Não necessariamente esse convite é interessante para você. Pode ser para uma empresa ou outra área com uma imagem ruim, ou que exija de você horários incompatíveis com sua rotina ou até mesmo que novos gastos não compensem o aumento salarial proposto. Muitas vezes as informações sobre o novo gestor sejam negativas e talvez não seja interessante realizar a mudança agora. Analise tudo e (novamente) com calma.

É importante destacar que ter calma não é ser lento. Você provavelmente tem prazos para responder sobre seu interesse e isso também precisa ser bem observado.

Considerando que há interesse em participar do processo, chegou a hora dos estudos. Sim, você tem um dever de casa e quanto mais se dedicar, melhores serão suas chances. Você precisa buscar informações sobre a nova área ou nova empresa. Tem que saber como é a imagem da empresa, onde ela fica, como são os acessos, trânsito, benefícios, tipo de administração, resultados recentes e tudo mais que conseguir, seja através da internet, no site da empresa, das pessoas conhecidas que trabalham lá etc. Vale até buscar sites de reclamação e ranking de órgãos de defesa do consumidor para entender a situação da empresa.

Se possível, passe pela empresa ou área, veja como as pessoas saem do prédio, como se relacionam, como se vestem (pode haver um código de vestimenta) e sinta o clima. Isso pode ser um fator importante na sua decisão.

E vai chegando a hora da entrevista. Nesse momento você já tem mais informações do seu pretenso empregador e estará pronto para uma conversa sobre os negócios da nova área ou empresa.

Agora é a hora de estudar você. Revisar suas experiências profissionais, seus cases de sucesso e também suas ações que não foram bem sucedidas e respectivos aprendizados. Pense no que cada uma dessas vivências profissionais agregou no seu dia-a-dia, tornando você um profissional melhor. Pense como suas habilidades e competências podem fazer diferença para quem está pensando em contratá-lo. Também mantenha-se atualizado sobre os últimos acontecimentos no Brasil e no mundo. Assista telejornais, leia jornais (disponíveis na internet e sem custo) para que possa comentar (mesmo que superficialmente) sobre algumas manchetes.

Uma dica que facilita muito esse processo é fazer uma redação sobre sua trajetória. Escreva algo como um discurso, começando por sua apresentação pessoal (tantos anos, solteiro/casado, tantos filhos, onde mora etc) e depois, onde começou sua carreira, como foi seu progresso, seus destaques e aprendizados em cada uma das experiências. Leia, releia, altere, ajuste, melhore, simplifique, objetive, dê maior destaque – faça quantas alterações forem necessárias até que fique satisfeito. E leia (talvez de frente para o espelho) muitas vezes até que mentalize uma ordem cronológica. Note que a idéia aqui não é que você decore nada. DECORAR NUNCA! É apenas oferecer a você maior articulação na fala, na organização das idéias, não deixando passar pontos importantes que seriam de grande valia na hora de se apresentar.

Isto feito, sugiro que agora prepare um cartão, com tópicos (por exemplo: apresentação, experiência 1 onde comecei e aprendi tal coisa, experiência 2 onde me destaquei por tal coisa, etc). Esse você utilizará na véspera, para recapitular seu discurso. Você já tem sua trajetória organizada e os pontos apenas servirão de referência. Afinal, na hora H, não terá roteiro, cartão ou dica. Será você apresentando suas características e competências.

Como a entrevista depende muito do ritmo do entrevistador, você precisará encaixar seu discurso às  falas dele. Imagine que o entrevistador diga algo como “Fale-me um pouco de você e de sua trajetória profissional até aqui” – perfeito, é só dizer o que você já organizou em sua mente. Mas e se ele pedir para se apresentar primeiro, falar um pouco de quem você é, o que faz nas horas livres? Simples. Use apenas a primeira parte e espere a nova pergunta.

Lembre-se que você não inventou nada, apenas se preparou para deixar as idéias bem organizadas e com uma cronologia agradável e adequada ao novo objetivo.

Outro ponto importante é que não existe fórmula mágica. Cada processo é único. E em cada um deles ganhamos mais força e preparo para os próximos.

Por fim, escolha uma roupa adequada e vá com entusiasmo. Transmita sua vontade de fazer parte daquele time. Mostre brilho nos olhos. Explique como pretende contribuir para alavancar os resultados. E o mais importante: esteja, de corpo e alma na entrevista. Foque naquele momento.

Ah, você já sabe, mas não custa lembrar, desligue seu celular. Desligue! Não coloque no mute, pois até a vibração poderá desconcentrá-lo.

Bons estudos, ótima entrevista e aproveite as oportunidades !!!!  

chegou a hora_final

 

3 ideias sobre “chegou a hora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *