SE VOCÊ FOSSE SE DEMITIR

Qual sua resposta (bem sincera!!!) para a pergunta do post?

Pode ser desconfortável, mas é uma forma de você se autoavaliar. Imagine-se como seu gestor justificando sua demissão. Que atitudes e competências (ou falta delas) podem te levar a uma demissão.

Por que acho isso importante? Não é nem para você pensar no pior, nem para entrar em paranoia, ao contrário, é para que você verifique se não se acomodou em alguma rotina ou forma de gestão.

Será que se sua chefia mudasse amanhã, sua vida continuaria a mesma? Se você fosse para outra empresa, fazendo a mesma coisa, estaria tranquilo por lá também?

Então, aproveite esse exercício para refletir se tem algo que você queira mudar e já entre em ação.

peça demissão

Vector illustration  Boss kicks out his employee

Está insatisfeito com seu trabalho? Não gosta do que faz? Seu chefe é ruim? Demita-se!

Está chocado né? Mas é isso mesmo, demita-se.

Agora é a hora que você começa a pensar coisas como “aqui é ruim, mas só saio se achar coisa melhor”, “não gosto daqui, mas tenho contas para pagar”, “sair nunca, se quiser que me demitam” e tantas outras parecidas.

Bom, se pensa assim, pare de reclamar. O problema, se existe, está com você. Não importa quantas vezes mude de emprego, logo você estará repetindo a mesma ladainha.

Está faltando você tomar as rédeas da sua vida. Não deixe a vida te levar. Decida para onde quer ir. Assim como numa viagem, escolha o destino e comece a tomar as providências para o embarque.

Demita-se das suas desculpas, dos seus velhos hábitos, das rotinas improdutivas, dos lamentos constantes. Comece um novo curso, aprenda uma nova profissão ou atividade. Descubra destinos interessantes para suas férias. Aproveite melhor seu tempo livre. Faça coisas por você, que tragam satisfação ou realização. Faça tudo valer a pena.

Tudo será lindo e maravilhoso? Provavelmente não, mas que sentido faz investir tanta energia para algo que não é bom? Foque nas coisas que são boas, que fazem sentido, que você quer que se repitam e que melhorem ainda mais.

Experimente olhar mais para as coisas boas do que faz atualmente, olhando para as coisas ruins.

Seu chefe é ruim. OK. Considerando que ele é assim, o que você pode fazer para diminuir os problemas? O que você pode fazer para que, suas atitudes te afetem menos? Que comportamentos você pode adotar para facilitar o relacionamento?

Seu emprego é estafante. OK. O que você pode fazer para se distrair nos momentos de folga? Que atividade te trazem tranquilidade e bem estar? Que hobby você pode começar? Que clube, grupo ou associação você pode começar a frequentar para encontrar pessoas diferentes?

Não transfira para os outros a responsabilidade sobre sua felicidade. Apodere-se dela. Isso não é delegável.

Você pode não concordar com o que estou dizendo, mas, pensando como você pensa agora, o que mudará para melhor nos próximos dias em sua vida? Penso que nada, certo? Tudo ficará como está. Então, experimente. O risco é você ficar feliz!

promoção? atenção!

Você já viu alguém ser promovido e algum tempo depois, curto ou longo, essa mesma pessoa ser demitida por não ser o profissional certo para o cargo?

Eu já vi e, confesso, com certa freqüência.

Em geral, porque promovem o melhor vendedor a supervisor de vendas. O atendente com o maior número de elogios a monitor de qualidade. A pessoa de pensamento matemático rápido para chefe da contabilidade. E uma lista de tantos outros exemplos seguiriam …

Antes de mais nada, esse é um erro de gestão. Ok, mas não podemos esquecer e isentar de responsabilidade a pessoa que aceitou a promoção.

Vamos por parte.

Quem vai aceitar uma nova responsabilidade, precisa saber o que o cargo exige, ou seja, as competências e habilidades básicas necessárias e acima de tudo, o que se espera do profissional que ocupará tal função.

Preste atenção pois não é porque hoje você possui muito mais do que exige o cargo atual que você tem tudo o que exige o cargo superior.

Se for um cargo técnico, por exemplo, você tem os cursos e vivências? Se não tem um deles, terá tempo para cursar ou praticar?

E, para o caso de um cargo de gestão, você precisa gostar de pessoas. Precisa liderar por exemplo e por competência.

Tenha calma, você pode até não saber realizar alguma tarefa da sua equipe de liderados, mas precisa saber conduzir e motivar.

Numa liderança, não esqueça do mais importante: desenvolver pessoas.

Quero deixar claro que não pretendo que você deixe de ousar, de arriscar. Só desejo que, como dizem por aí, “não dê um passo maior que a perna”.

Fica aqui o meu alerta para que na próxima oportunidade, avalie tudo com cautela. Veja todos os pontos. Converse com quem tem cargo ou função similar. Peça conselhos para seu tutor de carreira.

Boas análises …

demissão exige reflexão

A demissão, independente do motivo, carrega uma idéia muito ruim. Um sentimento de algo inacabado. Insucesso.

Soma-se também a questão financeira. A preocupação de como pagar as contas e manter o padrão de consumo conquistado.

Nesse post convido você para uma reflexão sobre a demissão. Para isso, vamos deixar de lado as demissões duvidosas. Aquelas onde os demitidos foram “perseguidos” por gestores incompetentes.

Usaremos como base as demissões pautadas na ausência de habilidades necessárias para a função, perfil incompatível com a empresa ou baixa produtividade.

Sendo você o demitido ou não, acho importante a reflexão sobre o que ocasionou a perda do emprego.

Se o demitido foi uma pessoa próxima, pulando os sentimentos de amizade e preocupação com o futuro dele e sua família, vale a análise do que faltou àquele profissional. Independente da divulgação dos motivos, com certeza você poderá concluir muita coisa. E nessa hora vem a grande facada: será que você não está perto disso? Será que não está deixando a desejar nessa ou naquela habilidade ou comportamento?  Sua formação é a desejada?

Saia do pedestal da pessoa impecável e aproveite a situação vizinha para revisar sua carreira. Talvez seja uma ocasião para solicitar uma avaliação do seu gestor. Dependendo do relacionamento com seu superior, talvez seja até interessante uma conversa franca sobre suas apreensões.

Agora, se você foi o demitido, a coisa está feia para o seu lado, mas é passageiro. Logo tudo  se resolve e a página será virada. Mas não perca esse momento. Reflita. Essa é sua chance de admitir, apenas para você, os erros que cometeu no último emprego, garantindo com isso, uma melhor situação no seu próximo desafio.

Ouso aqui deixar alguns pontos para sua reflexão: (1) entreguei de forma satisfatória minhas atribuições? (2) consegui transmitir meus conhecimentos e competências? (3) mantinha boa postura, com comportamento adequado e longe de fofocas? (4) fui fiel a empresa e gestores diretos? (5) confiei nas pessoas certas? (6) misturei assuntos particulares com profissionais? (7) ….

Feito isso, se organize, planeje e siga em frente …

Coisas boas estão a sua espera … aproveite para colocar  seus aprendizados em prática.

Sucesso !