SE VOCÊ FOSSE SE DEMITIR

Qual sua resposta (bem sincera!!!) para a pergunta do post?

Pode ser desconfortável, mas é uma forma de você se autoavaliar. Imagine-se como seu gestor justificando sua demissão. Que atitudes e competências (ou falta delas) podem te levar a uma demissão.

Por que acho isso importante? Não é nem para você pensar no pior, nem para entrar em paranoia, ao contrário, é para que você verifique se não se acomodou em alguma rotina ou forma de gestão.

Será que se sua chefia mudasse amanhã, sua vida continuaria a mesma? Se você fosse para outra empresa, fazendo a mesma coisa, estaria tranquilo por lá também?

Então, aproveite esse exercício para refletir se tem algo que você queira mudar e já entre em ação.

ESTOU DESEMPREGADO E MEUS CONTATOS DESAPARECERAM

CONTATOS SUMIRAM

Esse post vai gerar polêmica,mas sinceramente, não acho que as pessoas sumam. O que acaba acontecendo é que sua rotina muda e seu emocional fica mais frágil, trazendo uma necessidade de mais atenção. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

E vamos lá né? Não está fácil para ninguém. Quem está empregado, ou está tentando garantir o seu ou está tentando pular fora porque não aguenta mais onde está.

As vagas não estão surgindo toda hora para que alguém nos indique e na atual conjuntura, tem muita gente também pedindo ajuda para seus contatos.

Tudo isso junto e misturado, mais as rotinas corridas, vai afastando as pessoas e dando essa ideia de que todo mundo sumiu.

É claro que tem gente que some mesmo … mas tem muita gente que só não consegue ajudar e por isso fica na sua (e não sabe o que fazer). ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Foque agora nas pessoas que estão por perto, te apoiando e dando aquela moral. O resto é suar a camisa e meter as caras nos contatos, nos anúncios e portais de emprego. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Já já chega a oportunidade que você tanto espera!

OBSERVAR SEM JULGAR

texto observar

Sempre fui muito observador, daqueles que prestam atenção aos detalhes, aos comportamentos e atitudes dos que estão a minha volta. 

É algo automático, talvez algum processo criado para minha “defesa”, não sei, mas é bem natural e espontâneo. Costumo brincar que ao entrar num lugar, eu meio que escaneio o ambiente. Como acontecem nos filmes com robôs, que sai a luz verde dos olhos, mapeando todo o lugar.

Entendia isso como algo bom até que dar conta que junto com a observação, tinha o julgamento. 

A grande mudança veio da minha consciência de que eu ia colocando tudo que observava em caixas mentais de  #certo ou #errado.

E veja que absurdo. Na prática era o que achava que era certo ou errado a partir do que eu achava que estava vendo ou entendendo. Cruel comigo e com os outros.

Louco demais, concordo, mas era assim até me dar conta e refazer meu mapa mental. Observar sim, julgar não. E isso me fez um bem tremendo. Primeiro porque ignoro a grande parte das coisas que são corriqueiras e sem valor, e segundo, porque o que é realmente importante para mim, tento conhecer os motivos e razões daquela pessoa.

Confesso que as vezes o julgamento “se joga” na minha mente, mas rapidamente eu “jogo” ele pra fora. Risos.

E viva nossa possibilidade e capacidade de melhorar, mudar, crescer, amadurecer e superar.