FAÇA OU NÃO FAÇA!

card clapa

Quando vi essa frase do Mestre Yoda, lembrei logo do meu sogro dizendo “ou caga ou desocupa a moita”. E resolvi batizar esse dito popular como a perfeita tradução do que disse o Yoda.

Tudo bem que a do Mestre é bem mais botinha e polida, mas a brasileira é bem direta e deixa o recado de forma bem simples. Ninguém pode dizer que não entendeu.

Nesse ano quero fazer mais e tentar menos. Chega de ficar pensando se isso, se aquilo … Quantas coisas deixamos passar por pensar demais, esperar demais, se preparar demais … Vamos ser hoje, agora, nesse momento. 

Comecei o ano mudando alguns hábitos e um deles é na alimentação. Chega de comer porcarias como se não entendesse as consequências. Basta de dizer não para algumas comidas pela simples ideia de que acho que não gosto. Vou experimentar. É saudável, faz bem? Então bora começar a incluir na dieta. De pouco em pouco, mas fazendo presente nas refeições. 

Tem algo que sempre escutei que era bom, que fazia bem, que era gordura isso e aquilo e nunca consegui encarar. O tal do abacate. Nunca comi abacate como sobremesa, imagina como salgado, como parte das refeições. Eca! Era só o que eu dizia. Agora eu como. Pouco, disfarçado, mas tá lá. Cada um fazendo a sua parte. Eu comendo o tal do abacate e ele trazendo os benefícios importantes para a minha saúde. Ainda não acho bom, mas como. Não estou “tentando” comer abacate, estou fazendo, ou seja, comendo. 

Existem outros desafios como encarar o vídeo. Não tenho problemas de falar em público, ao contrário, gosto muito, mas o tal do vídeo ainda não é algo natural para mim. E vai acontecer. Comecei preparando um espaço, melhorando a internet e logo isso acontece. 

Se tem algo para começar, aproveite o começo do ano e faça acontecer. Chega de esperar. A hora é agora. Esse é o melhor momento.

energia

 

energia

Final de ano chegando e todos começam a fazer planos e promessas para 2011. No campo profissional, há a esperança de que com o novo ano e novo orçamento, oportunidades surjam. Seja uma promoção ou transferência na empresa atual ou uma vaga em outra corporação.

Antes de qualquer coisa, é importante você fazer uma avaliação da sua energia.

Essa energia é a sua disposição, sua a vontade de realizar, de fazer o que precisa ser feito, de se expor e de se arriscar.

O ritmo dos negócios tem exigido dos gestores formar equipes de profissionais que além das competências para o trabalho, tenham alta energia.

Uma pessoa com energia alta tem algumas características marcantes: são bem humoradas, agitadas, questionadoras e naturalmente inconformadas com o “sempre foi assim”.

Essas pessoas não fazem apenas o que foi pedido, fazem o que precisa ser feito. Elas buscam informações para produzirem respostas mais completas. Propõem alternativas. Entregam soluções. Não se dão por vencidas. Quebram paradigmas!!!

Estou falando de gente que trabalha para o bem da corporação. Que busca o crescimento profissional através de sua contribuição para o sucesso da empresa.

Não pode mais haver espaço para os profissionais improdutivos, que usam grande parte do tempo para navegar na internet, para bater papo ou com telefonemas particulares. Esse grupo tem energia baixa. Bem baixa.

Agora é fazer a reflexão e medir sua energia. A boa notícia é que se a sua energia está em alta, você está no caminho certo. Se por ventura estiver em baixa, basta recarregar rapidamente e mudar sua postura no ambiente corporativo.

Boa carga !

Resolveu ou adiou ??

Ontem, no final do dia, pedi ao meu filho que arrumasse seus brinquedos que estavam espalhados pelo chão do quarto. Imediatamente ele respondeu que logo o faria.
Passado algum tempo, retornei e ele continuava assistindo à TV e os brinquedos, acreditem (risos) continuavam no chão.
Questionei o motivo pelo qual os brinquedos não estavam guardados e ele disse que estava ocupado (!!!) assistindo a um desenho especial e que assim que o mesmo acabasse concluiria a tarefa.
Em menos de trinta minutos retornei e o mesmo estava em sono profundo. Não viu o final do desenho, não arrumou o quarto e nem colocou o pijama.
Essa passagem, bem comum para todos que convivem com crianças, foi a forma que encontrei para ilustrar o que muitas pessoas fazem no seu dia-a-dia no trabalho. Sabem o que precisam fazer, sabem que são os responsáveis por aquilo, mas vão deixando para depois.
Não estou aqui falando de prioridades. Fazer isso ou aquilo primeiro. Estou falando de se ocupar com coisas sem importância ao invés de cumprir suas obrigações.
Quando você assumiu sua função atual, com certeza conheceu suas atribuições, portanto trate de executá-las com excelência. Faça da melhor forma. Busque a melhor forma. Com o tempo você alcançará a prática e naturalmente maior agilidade com melhor qualidade.
Esse ganho de tempo será importante, pois sabemos que todos os dias, pequenos imprevistos tomam parte da nossa agenda e você precisa de um tempinho para se atualizar, para discutir suas idéias com outras pessoas, etc.
O título de um livro é excelente para uma reflexão: “Se você não tem tempo para fazer direito, quando arranjará tempo para fazer de novo?”.
É tão incrível quanto óbvio. Se tempo é um recurso escasso, não podemos aceitar fazer de qualquer jeito visto que não conseguiremos tempo parar refazer.
Então, comece agora mesmo a fazer algo que precisa ser feito !!!